sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Moço, irmão, companheiro e paisano

Essa é uma obra que amo!!! Moço, irmão, companheiro e paisano.

Moço se tenho sede
Não fico olhando as nuvens à espera da chuva
Cavo um poço e bebo a água nas mãos

Irmão se tenho fome
Não fico a rondar o celeiro
Vou à luta, dou mãos ao arado

E me alimento dos frutos que nascem do chão

Companheiro se tenho um protesto, não esmoreço

Digo logo o que quero no palco, na praça, para ser verdadeiro

Paisano se amo, não me retiro ao suspiro

Abro meus braços, afago, morro e proclamo a beleza de quem amo

Eu bebo a água nas mãos, como os frutos que planto,
Digo o que penso, digo o que penso

E a quem amo, amo tanto!

Eu bebo a água nas mãos, como os frutos que planto,
Digo o que penso, digo o que penso

E a quem amo, amo tanto.


Luiz Coronel

Nenhum comentário:

Postar um comentário