sábado, 31 de julho de 2010

AIRTON BUENO

Meu amigo Airton Bueno, nasceu na cidade de Dom Pedrito, atualmente mora na cidade de Caxias do Sul.
Aos 13 anos de idade, fez suas primeiras aulas de violão na escola de musica Instituto Artístico Carlos Gomes.
Participou de vários festivais, nas cidades de Candiota, Dom Pedrito,Bagé, Santana do Livramento, entre outras.
Atualmente esta na elaboração do seu novo projeto a gravação e produção do seu 1º trabalho solo entitulado
' NO ESTILO DA FRONTEIRA"
SAUDADES
NOS ACORDES DA GUITARRA REVEJO OS TEMPOS MAIS LINDOS
O AMANHECER NA QUERÊNCIA EO CANTO DOS PASSARINHOS
UM PONTEADO DE MILONGA EO RELINCHO DE UM PINGO
OS SONS QUE HOJE ECOAM NA QUELE PAMPA SULINO.

SAI DA MINHA FRONTEIRA CONTRARIANDO MEU DESTINO
DEIXANDO PARA TRAS UM SONHO DE MENINO
A LIDA COM O GADO E A DOMA DOS MALINOS
UM CHIMARRÃOBEM SEVADO AO LADO DOS MEUS AMIGOS

UM GAÚCHO DA FRONTEIRA TRAZ NAS VEIAS TRADIÇÃO
E CARREGA CONSIGO A LEMBRANÇA DO RINCÃO
QUANDOSEVA SEU MATE LÁ DENTRO DO GALPÃO
LÊ REACENDE A CHAMA QUE TEM NO CORAÇÃO

NO PEITO DESTE CANTOR E NA ALMA DO GUITARREIRO
A SAUDADE DA QUERÊNCIA BATE QUE NEM UM CINCERO
ESPERO PODER VOLTAR PRA AQUELE PAGO QUERIDO
PARA MOSTRAR A MEU FILHO O QUE ERA MEU DESTINO

LETRA: AIRTON BUENO

VISITEM TAMBÉM!!!!
www.airtonbueno.com.br

sexta-feira, 30 de julho de 2010

ALCI VIEIRA JR_NOVO CD


ATENÇÃO!!!
EM BREVE CD PROMOCIONAL!!!!!!!!!
CAMPANHA:
"PEÇA BAILANTA GAÚCHA NAS RÁDIOS!!!!"
AGUARDEMMM

POEMA_O campo e os teus olhos

Esse lindo poema é do meu amigo Victor Al Colombo de Lages/SC.





O Campo e os Teus Olhos


Pelas invernadas afora logo ao amanhecer
Carregava no peito uma certa amargura
Tinha sempre no pensamento tua figura
Mas não tinha idéia de como iria te dizer
Que era somente por ti que eu queria viver...


Tenho junto aos meus braços o violão
Que é pra pontear nestas noites frias
Mirando o campo nas duras invernias
Recordando os teus olhos nesta imensidão
Numa milonga choro junto com o coração...


Fiz este poema com toda a essência do sul
Falando do que mais ama este guitarreiro
No verde do campo e dos teus olhos matreiros
Agradeço a Deus mirando este céu azul
Pois não há maior alegria pra este campeiro...




Victor Al Colombo, 30 de abril de 2010...

Sobre o autor:
Estudante de música residente em Lages/SC, cujas inspirações pra compor, segundo ele, são voltadas para coxilha rica, lidas campeiras e alguns romances que teve.
É uma pessoa simples, parceira e muito querida em Lages.
Msn:colombojoga10@hotmail.com
Orkut:http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=as&uid=14258395207857360855

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Maus-tratos a animais _ DENUNCIE!

Realmente é muito triste saber que atrocidades com animais ocorrem a todo momento. E ante a evolução dos conhecimentos científicos, sabemos que os animais são seres que possuem características semelhantes aos humanos e estão sujeitos a sensações muito parecidas, o que nos deve tornar mais sensíveis no trato com eles.
Qualquer ato de maus-tratos envolvendo um animal deverá ser denunciado na Delegacia de Polícia. Aconselha-se que os casos de flagrante de maus-tratos e/ou que a vida de animais estejam em risco, acione-se a Polícia pelo 190 e aguarde no local até que a situação esteja regularizada. A Lei 9605/98 (Lei de Crimes Ambientais) prevê os maus-tratos como crime de comina as penas. O decreto 24645/34 (Decreto de Getúlio Vargas) determina quais atitudes podem ser consideradas como maus-tratos.
Sempre denuncie os maus tratos. Essa é a melhor maneira de combater os crimes contra animais. Quem presencia o ato é quem deve denunciar. Deve haver testemunha, fotos e tudo que puder comprovar o alegado. Não tenha medo. Denunciar é um ato de cidadania. Ameaça de envenenamentos, bem como envenenamentos de animais, também podem e devem ser denunciados.

Lei Federal 9.605/98 - dos Crimes Ambientais
Art. 32º
Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
Pena: detenção, de três meses a um ano, e multa.
§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

Exemplos de Maus-Tratos
- Abandonar, espancar, golpear, mutilar e envenenar;
- Manter preso permanentemente em correntes;
- Manter em locais pequenos e anti-higiênico;
- Não abrigar do sol, da chuva e do frio;
- Deixar sem ventilação ou luz solar;
- Não dar água e comida diariamente;
- Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido;
- Obrigar a trabalho excessivo ou superior a sua força;
- Capturar animais silvestres;
- Utilizar animal em shows que possam lhe causar pânico ou estresse;
- Promover violência como rinhas de galo, farra-do-boi etc..

Outros exemplos estão descritos no Decreto Lei 24.645/1934, de Getúlio Vargas.


Bueno...imagens são tudo né...




...alguma semelhança?

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Meu gaiteiro...


Hoje o meu amor fez uma postagem linda no seu blog, me deixando no mínimo sem palavras, mas com uma grande vontade de, como sempre, falar um pouco sobre nós...

Nesse mês de julho (dia 18) completamos 5 meses de namoro, e parece que foi ontem que tomamos aquele nosso mate à beira do canal São Gonçalo...
Foi aquela situação comum na qual dois amigos saem pra falar da vida, rir e tomar o bom e velho ''chimas''.


A cada minuto que passava eu ia sentido o quanto é especial esse gaiteiro, com um olhar que me trazia paz e conforto, e um sorrizo que me trazia alegria.



Então chegou um momento em que ele me deu o melhor abraço do mundo, no som tocava a musica ''Morena'' de Jorge Lambarí Fernandes, e ao meu ouvido cantava ''Amor de verão'' cantada pelo Grupo Minuano...e nosso primeiro beijo se fez, o melhor beijo do mundo (tanto que nunca mais parei de beijar né...hehehe), da pessoa mais especial e maravilhosa...
Bueno...poderia escrever por horas sobre oque sinto aqui, mas, resumindo um pouco, quero dizer que fico muito feliz e grata a Deus por ter trazido para a minha vida essa pessoa extraordinária, o melhor namorado do mundo, meu porto seguro, meu amigo, meu protetor, alguem que faz de tudo para estar comigo e me fazer feliz, que se preocupa comigo e me dá todo o carinho e atenção que alguém pode sonhar. É simplesmente o amor da minha vida!!!!


Obrigada por existir amorzinho! Quero estar pertinho de ti sempre, tentando te fazer a pessoa mais feliz do mundo, a vida toda!!!


Te amoooo

terça-feira, 27 de julho de 2010

Aquela tradicional festa dos formandos...



E nesse dia todos sentem na pele um misto de felicidade, nervosismo e melancolia...se olha para cada colega com um novo olhar, olhares que se cruzam sem saber até quando terão uma próxima vez...




DIREITO/ UCPEL PELOTAS/RS

ANO 2009







A CAMINHADA

Aqui deixo um pequeno texto que escrevi em uma madrugada qualquer...
É um relato de emoções e sentimentos, que pode representar tanto a caminhada da vida como uma mera caminhada fática de um filho e sua mãe.


A CAMINHADA

Naquele dia o menino andava de mãos com a mãe, que estava a sua esquerda, o sol e o respirar davam a impressão de estar tudo árido, olhava o tempo todo à sua direita, que trazia um tranqüilo e aconchegante horizonte, cujo capim era curto e ralo, com alguns tufos de capim mais comprido, e algumas falhas na grama em que se podia ver a terra marrom com aspecto de estar seca, e era por um estreito caminho de terra assim que caminhavam.
O chão era razoavelmente nivelado, sem quase buracos ou porções de pedra ou areia mais altas, o sol, de meio de tarde, dava um aspecto amarelo-ouro ao lugar, e fazia com que o clima, de uns 20 graus, se tornasse mais agradável. Quase não havia brisas, mas quando vinham eram tranqüilas e serenas ao toca-lo. Em alguns momentos, o menino dava longas olhadas para o chão, vendo seus pés, de tênis branco (um pouco sujos pela poeira do chão) caminharem pela trilha de chão marrom, que mesmo seco mostrava estar vivo.
O local era amplo, nele, quase não havia árvores, o que havia, mas, também em pouca quantidade, eram alguns pequenos e ralos arbustos dispostos muito longe uns dos outros. Oque mais se via era aquela grama e arbustos, um pouco pobres, balançando quando vinham as brisas, que por sua vez, traziam um delicioso e delicado assovio a seus ouvidos. Era um balançar que parecia ser em câmera lenta, cuja harmonia era tão grande que parecia tornar o momento algo lúdico, como se o menino pudesse sentir-se balançar entre os pequenos tufos de capim.
O sol dava mais ou menos em suas costas, e, fazia sua sombra nivelar bem para a esquerda. O caminhar era silencioso, dava para ouvir cada ruído das brisas e dos passos. O horizonte a esquerda era uma leve descida, e, por isso, sentia que a visão tinha o privilégio de chegar ainda mais longe. E seus olhos pareciam relaxar naquela visão, assim como seus pensamentos, que se perdiam naquilo de tal forma que parecia quase não pensar em nada.
Sua mão esquerda era agradavelmente segurada pela mão morna de sua mãe, ao mesmo tempo em que, seus pensamentos, estavam perdidos nuna grande mansidão. Parecia que sua alma é que pensava, e com certa inquietude que não conseguia traduzir, só sentia vagos pensamentos, que mais pareciam sensações, que lhe traziam coisas a ver com Deus a cabeça, assim como sensações que traziam leves, e quase imperceptíveis friozinhos no estomago, como que de alguma preocupação não muito definida, algo como se fosse a ver com o futuro, e, essas coisas que sentia pareciam penetrar em sua alma como a brisa penetraria em uma peneira, ao mesmo tempo que sentia uma angustia em sua alma, sentia-se em uma situação deliciosamente divina e lúdica, que o trazia uma emoção no sentir, como se ela acordasse e ultrapassasse os limites do mundo em que vivia, como se olhasse para o futuro, temendo-o, esperando-o, amando-o, e, sendo otimista.
Ele sentia uma engraçada sensação de bondade em seu interior, e era como se transbordasse por seus poros, parecia amar o mundo e tudo que nele há, sentia-se mágico, e, capaz, vendo que seus temores não eram fraquezas, sentindo-se um ser perfeito em sua humanidade, sentindo-se, então, feliz.
Olhou para sua direita e viu sua mãe, caminhando a seu lado e perdida em seus pensamentos, viu-se ligado a ela pela alma, tendo suas mãos entrelaçadas pelo amor dos dois. Sempre receou um dia não te-la, mas, naquele momento, sentiu que, um, sempre teria o outro, que ela era parte dele, e vice-versa, e, sentiu que o mundo era seu e ele era do mundo, que era como se fosse uma caminhada com a brisa sempre soprando em sua face, brisa que secará as lágrimas e assoviará em seus ouvidos aquela canção que embalava o delicado dançar dos arbustos e capim sob a luz forte, insistente e dourado-sonho do sol. Sentiu-se, então, ainda mais feliz.
Decidiu olhar para frente, viu que a trilha de terra marrom continuava a perder de vista, viu que havia o mesmo tipo de capim, tufos de grama mais alta e arbustos que observava, antes, a sua direita. Viu que o céu era de um azul-turquesa profundo, cuja beleza tocava e marcava sua alma. Sentiu, então, que seus olhos e pensamentos não estavam mais tão perdidos, começando a ser recobrados, sentiu-se disposto para correr, pular, dançar, dar risadas... Parou de caminhar, virou-se para sua mãe, que o olhou tentando entender o porquê da repentina parada, e, sem dizer nada, abarcou-a com forca, alma e amor, fechando os olhos e repousando sua cabeça em seu ombro maternal, ela, na mesma intensidade, retribuiu tal abraço, que perdurou por alguns muitos e intensos segundos. Ao fim desse abraço, seguiram a caminhada abraçados, a mãe com o braço circundando a altura dos ombros do menino, e este, por sua vez, com o braço em volta do tronco da mãe... E assim, seguiram a caminhada, aumentaram o passo, olharam para aquele céu, paisagem e trilha a sua frente com sorriso no rosto, e, simplesmente, continuaram caminhando felizes.


07/06/2008



JOSIELE PEREIRA CASTRO

Prece Árabe

Bueno...pra iniciar esse blog deixo uma simples reflexão para alma, a ''Prece Árabe''.





Prece Árabe

Não consintas que eu seja o carrasco que sangra as ovelhas, nem uma ovelha nas mãos dos algozes.
Ajuda-me a dizer sempre a verdade na presença dos fortes e jamais dizer mentiras para ganhar o aplauso dos fracos.
Meu Deus!
Se me deres fortuna, não me tires a felicidade;
Se me deres a força, não me tires a sensatez;
Se me for dado prosperar, não permita que eu perca a modéstia, conservando apenas o orgulho da honestidade.
Ajuda-me a apreciar o outro lado das coisas, para não enxergar a traição dos adversários, nem acusá-los com maior severidade do que a mim mesmo.
Não me deixe ser atingido pela ilusão da glória quando bem sucedido e nem desesperado quando sentir o insucesso.
Lembra-me de que a experiência de um fracasso poderá proporcionar um progresso maior.
Ó Deus!
Faze-me sentir que o perdão é o maior índice da força e que a vingança é a prova da fraqueza.
Se me tirares a fortuna, deixe-me a esperança.
Se me faltar a beleza da saúde, conforta-me com a graça da fé.
E quando me ferir a ingratidão e a incompreensão dos meus semelhantes, cria a minha alma a força da desculpa e do perdão.
E finalmente Senhor, se eu te esquecer, te rogo, mesmo assim, NUNCA TE ESQUEÇAS DE MIM!
...foto de um lindo fim de tarde que tive nas márgens do Rio Guaíba/POA.